Setúbal no Top 10 do Ranking nacional dos municípios

Setúbal

Setúbal é considerado como um dos municípios mais apelativos do país para viver, visitar e investir, ao ascender ao Top 10 do Portugal City Brand Ranking 2017, estudo independente que avalia a atractividade dos concelhos com base em dados factuais.

Nesta quarta edição do estudo, Setúbal consolidou o crescimento global registado nos últimos anos, depois de ter ocupado a 13.ª posição do ranking nacional nas edições de 2014 e 2015 e a 11.ª, na de 2016, ascendendo agora ao 10.º lugar.

O Portugal City Brand Ranking, estudo realizado pela Bloom Consulting, empresa especializada em estratégias de branding de países, regiões e cidades, divulga também classificações de atractividade à escala regional, com Setúbal a consolidar a 5.ª posição na tabela referente à região da área metropolitana de Lisboa, tabela, essa, liderada pela capital do país e constituída por 18 municípios. Setúbal só tem à frente Lisboa, Cascais, Sintra e Oeiras. De referir que nesta tabela, Almada surge em 6.º lugar, Sesimbra em 9.º, Montijo em 10.º, Palmela em 11.º, Seixal em 15.º, Barreiro em 16.º, Alcochete em 17.º e Moita em 18.º.

O estudo desenvolvido pela Bloom Consulting escrutina a performance de marca de cada um dos 308 municípios portugueses em áreas relacionadas com turismo, investimento e qualidade de vida, com os resultados a serem apurados a partir de uma análise baseada em dados quantitativos estatísticos e digitais.

A empresa de consultoria aplica métodos e ferramentas de investigação que permitem medir e quantificar claramente, de forma tangível, a atractividade dos municípios perante os respetivos públicos-alvo. Em vez de recorrer a níveis de percepção ou índices de felicidade e inquéritos de opinião públicos, a Bloom Consulting realiza uma recolha e análise exaustivas de dados estatísticos sobre as prestações económicas, turísticas e sociais de cada concelho. Por acréscimo, analisa as pesquisas online feitas pelos cibernautas sobre cada concelho, bem como a performance das respetivas páginas oficiais de internet e redes sociais dos municípios.

Dentro de uma das três grandes categorias analisadas no estudo, Setúbal subiu dois lugares face a 2016 no que toca a “Negócios”, ocupando agora a 13.ª posição do ranking nacional em relação à atractividade de captação de investimento.

Na categoria “Visitar”, correspondente à atractividade turística, Setúbal desceu duas posições em relação à última edição do estudo, ocupando agora a 16.ª posição enquanto na categoria designada “Viver”, referente à atractividade da qualidade de vida, o concelho sadino caiu apenas um lugar face ao resultado obtido na edição anterior do estudo e encontra-se no 14.º posto.

Lisboa, de resto, é o concelho que lidera os rankings gerais regional e nacional, posição que mantém desde a primeira edição do estudo, realizada em 2014. A capital do país viu a melhorar a sua prestação em todas as dimensões e variáveis afirmando-se mais uma vez como o município mais procurado online do país por turistas, investidores e cidadãos em geral (27,4% do total das pesquisas nacionais).

Faro, que se encontrava fora do Top 10 desde a edição de 2014, regista uma subida de 4 lugares devido a uma excelente performance na variável “Digital Demand – D2©”. Cascais protagonizou a única subida no Top 5, superando Braga e assumindo o 3º lugar no ranking. Quer Cascais, quer Braga melhoraram em muito a sua prestação pelo que foi uma luta renhida pelo 3º posto. O Funchal não pára de crescer desde a primeira edição do ranking e 2017 não foi excepção, estando agora em 7º lugar.

A grande subida do interesse internacional no Turismo, Talento e Negócios dos municípios portugueses causou também algumas descidas relevantes. Guimarães está pela 2ª vez em 4 anos fora do Top 10, ficando em 14º lugar. Aveiro caí de 10º para 11º e o município de Braga, ultrapassado por Cascais, desce à 4ª posição.

O Top 10 é o seguinte: 1.º Lisboa, 2.º Porto, 3.º Cascais, 4.º Braga, 5.º Coimbra, 6.º Sintra, 7.º Funchal, 8.º Oeiras, 9.º Faro, 10.º Setúbal. Almada surge em 13.º lugar.


Ranking regional do Alentejo

Évora lidera a lista

Nesta quarta edição do ranking, Évora mantém-se firme no topo da tabela da Região do Alentejo, apesar da descida de uma posição no ranking nacional. Indisputada nas 3 dimensões em análise, o município de Évora continua a ser a referência alentejana para Turismo, Talento e Negócios.

A descida de Alcácer do Sal é o grande destaque das descidas, passando do 15º para o 20º posto. Esta descida não se deve a uma quebra de prestação, mas sim à sobreposição de municípios competidores que cresceram mais ao longo do último ano. Grândola perde dois lugares para Elvas e Odemira e Serpa, que o ano passado subiu um posto, volta ao 12º lugar.

Nada mudou no Top 5 da região, com Beja a segurar o 2º lugar através da melhoria na dimensão de Negócios que fez com que o município voltasse ao Top 40 nacional, algo que não acontecia desde 2015. Santarém mantém-se no terceiro lugar e é ainda uma referência regional enquanto marca de Negócios e Talento. Sines e Portalegre fecham o Top 5.

É de notar que, especialmente na região do Alentejo, encontramos pouca diferença entre as pontuações dos municípios, pelo que estes são sujeitos a uma grande volatilidade nas posições do ranking regional. Uma descida de 5, 6 ou 10 lugares não significa necessariamente uma baixa acentuada na prestação, mas sim que houve municípios que conseguiram capitalizar de uma forma mais eficiente a geração de interesse proativo de turistas, empresários, investidores, estuantes ou trabalhadores; criar maior ligação através do site e redes sociais ou desenvolver uma estratégia de marca mais eficiente.

No Top 25, no Litoral Alentejano, temos Sines em 4.º lugar, Odemira em 7.º, Grândola em 8.º, Santiago do Cacém em 9.º e Alcácer do Sal em 20.º.

 

Facebooktwittergoogle_plus